Síndrome de De Quervain


A síndrome de De Quervain é a tenossinovite estenosante do tendão do extensor curto (extensor curto do polegar) e do abdutor longo do polegar (abdutor longo do polegar) no interior do primeiro compartimento extensor.

Normalmente ocorre após o uso repetitivo do punho (especialmente fazendo torção), embora isso ocorra ocasionalmente em associação com a artrite reumatoide. É comum nos pais de recém-nascidos por causa do levantamento repetitivo com punhos em desvio radial.

O principal sintoma da síndrome de De Quervain é a dor forte no punho e no polegar, agravada pelo movimento. A sensibilidade pode ser ativada próximo ao processo estiloide radial sobre o local das bainhas tendinosas envolvidas.

O diagnóstico da síndrome de De Quervain é fortemente sugerido pelo teste de Finkelstein. O paciente aduz e envolve o polegar com os dedos. O teste é positivo se o desvio ulnar passivo do punho provocar dor forte nas bainhas dos nervos afetados.

Tratamento

  • Infiltração de corticoides

  • Tala em oito para o polegar

  • Algumas vezes, cirurgia

  • Repouso, compressas quentes e AINEs podem ser úteis em casos leves.

Infiltrações locais de corticoides e tala no polegar ajudam de 70 a 80% dos casos. A ruptura do tendão é uma complicação rara da infiltração e pode ser prevenida pela infiltração na bainha tendinosa, evitando-se infiltração de corticoide no tendão. A localização intratendinosa da agulha é provável se a infiltração for de encontro a uma resistência moderada ou grave.

A liberação cirúrgica do primeiro compartimento do extensor é muito efetiva quando a terapia conservadora falhar.

Fonte: https://www.msdmanuals.com/ Perelman School of Medicine at the University of Pennsylvania